Once upon a time…

old typewriter (focus on text)

as i start to write our story
i struggle to figure out
what title fits it best…

a love story without a happy ending
a love story without an ending. happy
a happy love story with(out?) an ending
a happy story with(out?) a love ending

then i wonder
is it even possible
to know for sure
if the title is right
before the story is over?

is there more we can do
than just choosing a title
and writing the story together
adjusting it as to make the title true?

happy endings don’t come
just because they were meant to
but rather because
one was brave enough to build them
long before knowing when they were due

Sobre males e amares

mar

Há males que vêm para bem
Há mares que vêm para bem
Amares que vêm para bem
E que vão também
 
E quando vão, machucam
Sentimento…
e sofrimento…
e crescimento!
 
Aqueles que amamos
por um dia, um instante ou uma vida
vão formando quem somos hoje
e quem vamos nos tornando
Os que odiamos também
 
As cicatrizes ajudam a iluminar
Não porque deixam a luz entrar
Mas porque a deixam sair
Deixam irradiar a luz que já estava ali
Dentro de nós
 
Que sempre esteve
E estará
Até quando deixamos de acreditar
Porque há males que vêm para bem
Aaaah
Males vêm para bem
E vão também

Sobre ser rio

IMG_5974
Por medo de se queimar
fugia de brincar com fogo.
Não queimava, mas ardia.
 
E, assim, a vida seguia
entre terra e ar.
Concretude e ilusão.
Vazia.
 
Certa vez, o fogo venceu sua resistência
Aqueceu
E, para sua surpresa,
não queimou.
Derreteu!
 
E foi então que aprendeu a ser rio
sem temer as pedras no caminho
sabendo fazer-se cachoeira a cada queda
e continuar fluindo
 
a(té o)mar
assim
com entrega
e uma única certeza:
pode mergulhar!

“Não é você, sou eu.”

“Não é você, sou eu.”
ele terminou sem dizer aquelas palavras
mas chorei, porque sabia
que o amor que pensei ter encontrado nele
dali não poderia vir.
 
“Não é você, sou eu.”
a decisão dele doía
mas nem culpá-lo eu podia.
O abandono acontecera muito tempo antes
quando me deixei convencer pelo mundo
que não merecia ser amada.
 
“Não é você, sou eu.”
sempre fui eu….
mas precisei de tantos vocês para entender isso!
 
tantos vocês indisponíveis
tantos vocês que (não) me amaram, como eu (não) me amava
que (não) me respeitaram, como eu (não) me respeitava.
Como esperar receber do outro o que não damos a nós mesmos?
 
Agora tudo mudou
ou nem tudo.
afinal, continua não sendo você
Sou eu…
 
Sou eu que estou inteira
e escolho com quais vocês compartilho meu sorriso
não basta chegar e querer morar nele, não!
que já está ocupado
da melhor forma que poderia:
nele agora habita um amor próprio
que não vai se mudar para viver de aluguel em sorrisos alheios.
 
“Não é você, sou eu”.
e isso não poderia ser melhor…
sou eu
sou(l) ❤
 
images

Os ipês não floresceram

ipe

28% de umidade
observo pela janela o ipê
que há duas semanas tentou ser amarelo

mas agora já está verde de novo

o que aconteceu esse ano
que os ipês não floresceram?
ou floresceram cedo demais

ou rápido demais?

choveu antes da hora
e comemoramos a chuva sem saber

que a seca era o que o ipê precisava para florescer

a chuva foi provisória
ilusória a ideia de que a seca chegara ao fim

mas as flores do ipê, sim.

e não é assim também na vida
quando tentamos abreviar os momentos de falta
e aliviar a dor

sem dar tempo a ela de mostrar para o que veio?

com certeza não veio em vão
então, deixa ela falar
para pra escutar

vai dançar com ela

o remédio não cura a ferida
só disfarça a dor
anestesia
mas, assim como a chuva de agosto,
é ilusório
passa

levando as flores e deixando a seca

vai agora me dizer que rejeitar o remédio é loucura?

afinal, o que é a cura
senão abraçar a dor
sorrindo

Projeção

reflexo

como num espelho
te olho
e me vejo
correr de você
era correr de mim mesmo
 
me entreguei antes de conseguir escapar
me odiei
mas quis continuar a te olhar
(ou me olhar?)
 
a imagem no espelho fascina
tanto quanto desagrada
e não quero apagar a luz
 
impossível ver no outro
o que não reconhecemos em nós mesmos
(projeção)
aversão
ou paixão?
 
ilusão é tomar o espelho
pela realidade refletida
é querer você
e continuar a fugir de mim
 
tolice grande isso de acreditar
que é possível escapar de si
 
não havendo esta opção
melhor aprender a se amar
é urgente
é difícil
e a vida não aceita cola escrita na mão