Desiluminei

Guru eu queria ser
Guru eu pensei que era
Como guru, muitos me viram
Sem saber que a humanidade estava grudada em mim
como segunda pele
Impregnada em meu ser limitado
que por tanto tempo se pretendeu iluminado 

Mal sabia que o que eu precisava mesmo era ser afetado
Mal sabia que sublimar era impossível
sem antes ter aprendido a amar…
a sofrer, a viver e a dançar
Sem antes ter sentido medo, raiva e euforia
Sem antes ter perdido o controle
Pois é, quem diria…

‘Não se chega ao céu sem antes passar pelo inferno’
É o que algum poeta já deve ter dito
Nem à primavera sem o inverno…
Na natureza, eu acredito
Vem dela a sabedoria
Que tanto me ensina:
‘Duvida se ouvir sê guru.
Confia na vida, é seguro!’

Já não sei bem qual estação era
Mas aprendi a lição:
Desiluminei!
Me vi como humano que sou
Me assustei.
Quis correr, mas fiquei…
E à vida me entreguei!


One thought on “Desiluminei

  1. Paula , lindo o texto . Você tem inovado na forma , parabéns ! Eu fiquei em dúvida na parte “ pedido o controle”- se está certo , achei muito legal essa ideia, de pedir e não de perder . Ou passou sem um “r”? Parabéns !!! Bjs

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s