Cem dias de quarentena

Cem dias de quarentena
Seriam cem dias de solidão?
No começo, parecia um problema
Mas, com calma, tudo vira poema…

As águas de março vieram
Fecharam o verão
E enquanto o outono é que vinha
Difícil manter a promessa de vida
em cada coração

Foram dias de medo e tristeza
E, infelizmente, isso continua
Mas toda dor esconde em si
um bocado de beleza

Foram dias de aprendizado
e adaptação
Teve até quem quisesse
aprender a fazer pão

Teve, ainda, quem aprendesse a partilhá-lo
Conhecendo, assim, o sabor da compaixão
Entendendo que vivemos em comunidade
E que é possível cuidar do outro
Mesmo sem tocar a sua mão

Cem dias de quarentena
Sem vias para escapar
Não teve jeito senão
conviver com a escuridão

E persistir…
Mesmo se o túnel
Ainda parece uma caverna
Sem luz brilhando no final

E insistir…
Até que todos entendam
Que a luz não está no final
Mas dentro de cada um de nós

Cem dias de quarentena
Não foram cem dias de solidão
No começo, parecia um problema
Mas, com alma, tudo vira poema


One thought on “Cem dias de quarentena

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s